Aconteceu na Itália,  Festas Religiosas,  Minha Itália,  Minha vida em Roma

A reliquia de San Gennaro “Quando o sangue não dilui”

Hoje dia 16 de dezembro e o dia 19 de setembro são os dias mais importante para a cidade de Nápoles e para toda a Itália cátolica e o sangue de “São Gennaro” não diluiu.

Mas vamos por etapas antes de explicar o fenomeno que conseguiu deixar perplexo até grandes cientistas.

Quem era São Gennaro?

São Gennaro nasceu na cidade de Benevento no dia 21 de abril de 272,e morreu em Pozzuoli, 19 de setembro de 305,ele foi um bispo cristão e márti,venerado como santo pela Igreja Católica,que celebra seu culto em 19 de setembro dia da sua morte e pela Ortodoxa.
Principal patrono de Nápoles,em cuja catedral se acredita que alguns ossos do seu esqueleto se encontram junto com duas ampolas que a tradição popular acredita ser o seu sangue,a sua figura é historicamente um objeto de culto e folclore.
Ainda hoje há quem acredite que o chamado fenômeno da dissolução do sangue,ritualmente representado no primeiro domingo de maio, 19 de setembro e 16 de dezembro,deve ser atribuído a um milagre e prenúncio de boa sorte.

Mais uma vez,a crença popular considera a figura de São Gennaro como fundamental para a detenção da erupção do Vesúvio(vulcão situado no golfo da cidade de Nápoles)em 1631,que coincidiu com uma procissão em que as suas relíquias foram carregadas em procissão e expostas em frente ao vulcão ativo.

Em relação ao fenômeno da liquefação do sangue,deve-se lembrar a hipótese formulada pelo CICAP, porém, de utilizar substâncias não homogêneas às contidas na ampola, segundo as quais o sangue é uma substância tixotrópica que se funde sob estresse mecânico,o que,entretanto,não explica a falta de liquefação também aconteceu no passado recente.A autoridade eclesiástica, porém, após suas próprias provas confiadas a cientistas leigos, classifica o fenômeno da dissolução como um prodígio.

San Gennaro foi decapitado por proclamar a fé,morto pelo imperador romano Diocleciano,um dos soberanos que mais perseguiu os cristãos.

Fontes contam que São Gennaro foi a Pozzuoli para visitar o diácono Sossio (ou Sosso),preso pelo procônsul da Campânia Dragonio por liderar a comunidade de cristãos na área de Campi Flegrei.
São Gennaro foi até ele junto com Desidério e Festo,também cristões,mas foram presos junto com Sossio e condenados a ser despedaçados pelos ursos,devido à simpatia que as pessoas sentiam pelos prisioneiros(que se transformavam em protestos durante os jogos com os ursos),o procônsul Dragonio então decidiu e os decapitou em 19 de setembro de 205 D.C.

As ampolas com o sangue de São Gennaro

São duas ampolas que contêm o sangue de San Gennaro:a primeira tem formato elíptico,é maior e está cheia com o sangue do santo por mais da metade de sua capacidade.A segunda por outro lado,tem um formato cilíndrico e é bem menor,contendo apenas alguns pontos nas laterais do recipiente.
Dos dois,apenas o primeiro é usado para o milagre de San Gennaro,no qual o sangue do santo é liquefeito

Como funciona o milagre de São Gennaro

O rito da liquefação do sangue de São Gennaro realiza-se três vezes ao ano e consiste na dissolução do sangue do Santo no interior do frasco maior.O rito é executado pelo arcebispo de Nápoles,que retira a ampola da caixa e começa a sacudi-la com movimentos codificados que fazem parte do ritual.Os gestos do arcebispo são então reforçados pelos incitamentos dos fiéis,que convidam São Gennaro a fazer o milagre com uma intensidade que aumenta com o passar do tempo.O sangue geralmente se dissolve em minutos, começando a mostrar todas as propriedades de um líquido normal.

O que a Igreja pensa sobre o milagre de São Gennaro

A posição da Igreja sobre o milagre de San Gennaro é ambivalente,se por um lado o santo faz parte da tradição eclesiástica codificada,também é verdade que San Gennaro é um santo “antigo2, que viveu numa época em que a fé,a superstição e a magia ainda não tinham contornos bem definidos.Assim como o culto de Maria,que é muito antigo, também o de São Gennaro possui elementos e rituais que pertencem a um passado ancestral e a um sistema de valores e símbolos anteriores ao próprio cristianismo.

E hoje o sangue de São Gennaro não se liquidificou deixando todos cristãos de toda Itália em apreensão e uma grande oração porque a ultima vez que o sangue do santo não liquidificou aconteceu o terremoto grande terremoto na cidade de Irpinia que devastou toda a cidade.O sangue não liquidificando é visto como um mal presságio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: