Minha Itália,  Minha vida em Roma,  Viena

Conhecendo Viena Part.2

E aqui continua a nossa aventura por esse pais mágico a Áustria e nossa visita a cidade de Viena.

O Castelo Belvedere

O Castelo Belvedere foi construído como residência de verão para o Príncipe Eugênio de Sabóia. Hoje abriga um museu de arte e seu interior original permanece muito pouco.
O complexo do Castelo Belvedere,consiste em dois palácios,unidos por um jardim de estilo francês.
Belvedere superior
No ponto mais alto do jardim,fica o Belvedere Superior o edifício principal do castelo,com uma fachada verdadeiramente sofisticada.
O interior é decepcionante,pois não parece um palácio,de fato apenas o Salão di Marmola e a capela são decorados.
As outras salas não mostram um aparato decorativo suntuoso mas acolhem as coleções do Museu Belvedere,desde a Idade Média até os dias atuais.
No térreo,fica a capela e além disso,os espaços de exposição estão localizados com obras produzidas desde a Idade Média até o barroco.No primeiro andar,são exibidas as obras de artistas vienenses,realizadas entre 1880 e 1900.
No segundo andar,estão as obras de neoclassicismo e romantismo,além da coleção Biedermeier.
No caminho da exposição do Upper Belvedere,você pode contemplar as obras de artistas famosos,como Claude Monet, Vincent van Gogh, Max Beckman, Gustav Klimt, Egon Schiele e Oskar Kokoschka.
Entre as obras-primas do museu, estão “The Kiss”, de Klimt, e “Lovers (The Embrace)“, de Schiele.


Belvedere Inferior
Menor e com uma fachada menos impressionante, comparada à do Belvedere Superior, o edifício do Belvedere Inferior exibe as obras do barroco austríaco,com obras de artistas que moldaram a cidade durante a época de Ouro de Viena.
Alguns dos quartos mais importantes do edifício são a Sala dos Grotteschi, a Galeria de Mármore e o Salão dos Espelhos,todos em estilo barroco.

O Castelo Belvedere Superior pode ser visitado todos os dias,das 10:00 às 18:00.
Belvedere Inferior: todos os dias,das 10:00 às 18:00 (quarta-feira às 22:00).
Laranjal: todos os dias, das 10:00 às 12:00.
Os preços são:
Adultos: 22 €. (Belvedere Superior e Inferior e Laranjal)
Estudantes e idosos com mais de 65 anos: 19 €.
Menores:entrada gratuita.
Entrada gratuita com o Vienna Pass.

Um outro lugar que tivemos o prazer de conhecer foi o Museu Heeresgeschichtliches que é o museu de história militar com sede em Viena.

É o museu de história militar mais antigo e maior do mundo,foi fundado em 1869.
Suas exposições incluem uma das maiores coleções de canhões de bronze do mundo,centra-se na história militar austríaca do século XVI a 1945.O museu está localizado no bairro de Landstrabe,não muito longe do castelo Belvedere.
Foi construída entre 1850 e 1856 a mando do imperador José Francisco I como a nova sede da guarnição da cidade, depois que o antigo prédio foi destruído durante a revolução de 1848,o museu,no centro do arsenal,fazia parte do projeto original e serviria como museu histórico e como santuário das vitórias militares do Império Austríaco.
Consiste em cinco partes principais,uma entrada principal que contém a sala dos generais e quatro grandes salas de exposições,onde estão as coleções.
Os canhões de bronze são colocados fora do museu,na base do arsenal.
Cada uma das quatro salas de exposições é dedicada a um segmento da história austríaca,começando com a Guerra dos Trinta Anos e contra os turcos otomanos,continuando com as Guerras Napoleônicas a Primeira Guerra Mundial e a Segunda Guerra Mundial.
Há também uma pequena sala de exposições especial onde o conteúdo é alterado regularmente.
Uma das partes mais importantes da coleção do museu está localizada na sala da Primeira Guerra Mundial e refere-se ao assassinato de Francesco Ferdinando.


Em exibição,está o carro em que o arquiduque e sua esposa estavam a bordo quando foram assassinados,o uniforme que ele usava, a arma usada por Gavrilo Princip e a maca na qual ele foi declarado morto.
Outras descobertas dignas de nota são a bomba gigante do medieval Pumhart von Steyr,o modelo original do navio de guerra SMS Viribus Unitis,carro-chefe da frota austro-húngara durante a Primeira Guerra Mundial,o MiG-21 do piloto croata Rudolf Perešin,um balão de observação Francês e os restos mortais do SM U-20,um submarino austro-húngaro afundado em combate em 1918.
Destacam-se também cinco das seis bandeiras tricolor originais entregues por Napoleão Bonaparte a tantos departamentos da Legião Lombarda em 1796 eles eram os primeira faixa verde,branca e vermelha adotada por um departamento militar italiano.

O museu é aberto de todos os dias das 08:30 as 17:00 e o valor do engresso e de 5€.
E assim chegou a concluso nossa visita a Viena a capital de um dos países mais lindo que visitei e espero muito em breve retornar.
Espero que vocês tenham gostado e até a próxima viagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: