Minha Itália,  Minha vida em Roma,  Última Hora

Hoje a Itália Perdeu Uma Grande Bailarina Carla Fracci

Hoje a idade de 84 anos na cidade de Milão,faleceu Carla Fracci.Carla Fracci foi uma das maiores dançarinas do século XX.Em 1981,o New York Times a chamou de bailarina absoluta.

Mas vamos conhecer a historia de Carla Fracci:

De origem humilde,seu pai Luigi Fracci foi sargento das tropas alpinas na Rússia e sua mãe Santina Rocca foi operária da Innocenti em Milão (alvo do Comando de Bombardeiros Britânico).

Ele tinha uma irmã,Marisa Fracci,também dançarina de balé,formada na escola de balé do Teatro alla Scala de Milão.Com o início da guerra,Carla e sua família foram deslocadas na zona rural de Volongo por sua avó materna Argelide.Com o início do ensino fundamental mudou-se para a tia em Ca’Rigata di Gazoldo degli Ippoliti,e depois voltou para Milão no final da guerra,onde seu pai se tornou funcionário da companhia de bondes como condutor.

Os pais frequentemente a levavam ao clube de lazer da transportadora e foi aí que alguns amigos dos seus pais perceberam nela um forte sentido de ritmo e os convenceram a fazer uma audição no Teatro alla Scala.Passou no exame pelo interesse despertado pelo “seu lindo rosto”, mas os primeiros anos foram difíceis,pois sentia saudades dos espaços abertos naquele ambiente rígido que era difícil habituar-se,apesar das constantes censuras da professora que a considerava rica em habilidades,mas apática.O encontro com Margot Fonteyn vai ser fundamental e vai permitir-lhe apreender o sentido de todo esse trabalho,passando a sentir o teatro como “casa”.

Carla Fracci desde 1946 estudou na escola de ballet do Teatro alla Scala com Vera Volkova e outros coreógrafos,graduando-se em 1954. Após dois anos tornou-se bailarina solo e depois bailarina principal em 1958.Entre o final dos anos cinquenta e os setenta ela dançou com algumas companhias estrangeiras,como o London Festival Ballet,Sadler’s Wells Ballet, hoje conhecido como Royal Ballet,o Stuttgart Ballet e o Royal Swedish Ballet,em 1967 ela foi dançarina convidada no American Ballet Theatre.

A sua notoriedade está ligada às interpretações de papéis românticos e dramáticos,como Giselle,La Sylphide,Romeu e Julieta,Coppélia,Francesca da Rimini,Medea.

Ele dançou com vários dançarinos,incluindo Rudolf Nureyev,Vladimir Vasiliev,Henning Kronstam,Mikhail Baryshnikov, Marinel Stefanescu,Alexander Godunov,Erik Bruhn,Gheorghe Iancu e Roberto Bolle. Um filme foi feito a partir de Giselle,dançado com Bruhn, em 1969.Ela interpretou Medea, concerto barroco,Les demoiselles de la nuit,A gaivota, Pelléas et Mélisande,A flor de pedra.

Em 1982 foi protagonista de um drama televisivo,apareceu no drama Rai,dirigido por Renato Castellani,Verdi,onde desempenhou o papel de Giuseppina Strepponi,soprano e segunda esposa do compositor.

No final dos anos oitenta dirigiu o corpo de balé do Teatro di San Carlo em Nápoles.

Várias foram,nos anos seguintes,suas interpretações, A tarde de um fauno,Onegin,A vida de Maria,A.M.W.A boneca de Kokoschka,A fonte romana da Sra. Stone (esta última dirigida por Beppe Menegatti),para citar os principais.

De 1996 a 1997 dirigiu o corpo de balé da Arena de Verona.A partir de 1994 foi membro da Brera Academy of Fine Arts, a partir de 1995 foi presidente da associação ambiental Altritalia Ambiente e em 2004 foi nomeada “Embaixadora da Boa Vontade” da FAO. Em 1997 foi convidada como convidada para a noite final do 40º Zecchino d’Oro.

De novembro de 2000 a julho de 2010, dirigiu o corpo de balé do Teatro dell’Opera di Roma. Seguiu-se o repertório tradicional e aquele assinado por Sergej Djagilev para balés russos (de La sagra della primavera, na reconstrução de Millicent Hodson, a Shéhérazade, O pássaro de fogo e Petruška, nas versões de Andris Liepa). A esta atividade acrescentou o renascimento de ballets perdidos e novas criações, sempre sob a direção de Beppe Menegatti.

Em 2008 colaborou com o grupo de rock demente Elio e le Storie Tese no álbum Studentessi recitando um interlúdio vocal ao final da música Effetto memoria (Winter) que apresenta a faixa Heavy Samba.

De junho de 2009 a 2014 foi Conselheira para a Cultura da Província de Florença.

Em dezembro de 2013,Arnoldo Mondadori Editore publicou sua autobiografia Step by step,editada por Enrico Rotelli.

Em 2016 apresentou o livro Ballerina de Roberto Baiocchi publicado pela Giunti Editore, do qual assinou o prefácio.

Ela foi embaixadora da Expo 2015.

Uma grande artista um exemplo a seguir no mundo da dança clássica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: