Minha Itália,  Minha vida em Roma

“Isabella De Bernardi” Hoje a Itália Perde a Hippie de Borotalco

Hoje o mundo do espetáculo perdeu uma grande atriz a artista “Isabella De Bernardi”,uma atriz que mesmo nunca fazendo um papel de atriz protagonista,consegui conquistar a fama e a conquistar o coração de todos. Isabella trabalhou com grandes artistas como Carlo Verdone e o saudoso ator Alberto Sordi.

Mas quem era Isabella De Bernardi?

Isabella era filha do roterista Piero De Bernardi e ficou conhecida no cinema por interpretar com o ator roterista e diretor Carlo Verdone a qual a notou durante escrevia o roteiro de sua primeira obra “Un Sacco Bello”(1980).

Sob sua orientação ela também aparecerá em “Borotalco”(1982), “Il Bambino e il poliziotto”(1989),atuando ao mesmo tempo ao lado do saudoso Alberto Sordi no filme “Il Marchese Del Grillo”(1981) e no também filme de Alberto Sordi com Monica Vitti “Io So Che Tu Sai Che Io So”

Na televisão el participou da série “I Ragazzi della 3ªC”

Isabella ficou famosa em contracenar com Carlo Verdone e Mario Brega no filme cult “Un Sacco Bello” em que fazia a parte de “Fiorenza” uma garota hippie decidida a negar suas origens burguesas.A história se passa em uma Roma Ferragostana ensolarada e deserta.Ruggero, um hippie convicto de ter uma visão mística,vive em retiro numa comunidade da Toscana,onde professa o amor livre e o “desapego do mundo materialista”.
Encontrando-se em Roma com sua namorada Fiorenza a mendigar em um cruzamento,ele encontra por acaso no semáforo seu pai,que convida os dois para um bate-papo em casa,na tentativa de convencer seu filho a voltar à hierarquia. Ali o casal se diverte com um estranho trio de personagens como um padre,um professor despótico e seu primo Anselmo,no que aos poucos se transforma em um surreal e patético diálogo.

Isabella fica famosa pela frase que recita no filme ao pai do namorado um comunista convinto:

Mario: Ma ‘n padre pò avè un fijio così, senza ‘na casa, senza ‘na famijia, co ‘e pezze ar culo, ai semafori a chiede l’elemosina?!…E co ‘sta stronza che so du’ ore che sta a masticà! Ma che te ciancichi, aoh!!?

Fiorenza: Guarda che io a mi padre j’ho già sputato in faccia, attento, fascio, che nun ce metto niente!

Mario: A me fascio? Io fascio? A zoccolè, io mica so’ comunista così, sa! So’ comunista così!!

Tradução:

Mario: Mas padre posso ter um filho assim,sem uma casa,sem uma familia,sem dinheiro e que mendiga dinheiro no semaforo com a sua amante,que a duas horas que está mastigando um chiclete?

Fiorenza: Olha que eu já cuspi na cara do meu pai fica esperto fascista que para cuspir na sua cara faço em um piscar de olho.

Mario:Fascista? Eu fascista? Ah puta eu sou comunista e muito comunista.

Lógico que em Romanaccio ao nossos ouvidos o som é bem diferente. Uma artista que permanecerá no coração de todos nos romanos e no corações dos amantes dos filmes de Carlo Verdone e Alberto Sordi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: