Curiosidades de Roma,  Minha Itália,  Minha vida em Roma

As Fontes de Roma Part.1 Fontes Antigas

As fontes de Roma mostram como os romanos sempre tiveram uma grande paixão pelas águas,dos aquedutos aos spas, após os séculos de declínio,essa paixão foi expressa na construção das inúmeras fontes,mais de 2.000 que ainda hoje adornam as ruas e praças romanas.
A água de Roma era e é considerada tão boa que os papas até a levavam em suas viagem.
Para os romanos,as fontes eram quase uma consequência natural da conformação geológica da terra em que a cidade fora construída o solo vulcânico nas colinas e o solo aluvial na planície completamente permeável sobreposta a uma camada argilosa impermeável que as numerosas veias naturais das quais a área era rica fluíam a uma profundidade mínima,produzindo,quando não podiam fluir para o Tibre,numerosas fontes espontâneas espalhadas aqui e ali nos pés ou a meio caminho das colinas,com consequentes riachos de água.
Quase todas desapareceram definitivamente ao longo do tempo, nessas fontes hoje em dia só é possível obter algumas informações dos depoimentos da época que entre outras coisas,permitem uma localização,por mais aproximada que seja de não mais do que uma dúzia delas.
Algumas dessas veias ainda estão vivas sob as casas perto da Fontana di Trevi e Campo Marzio.
Como todos os povos antigos e não diferente para os romanos,a água era considerada um presente dos deuses e portanto,sagrada.
Uma fonte, Fons, foi, portanto, responsável pelas fontes, cujo templo foi erguido em 221 a.C. no sopé do Capitólio,na área de Vittoriano perto do portão chamado Fontinalis.
Cada fonte então tinha uma divindade tutelar “pessoal”,geralmente uma ninfa,como a conhecida Egeria (Na mitologia romana,a Egeria é uma das antigas divindades latinas das águas termais) tanto que tem uma marca de água que se chama Egeria,um dos quatro patronos da fonte do Camene,segundo a lenda,amante,inspiradora e esposa do rei Numa Pompilius (segundo rei de Roma reinou por quarenta e quatro anos).

As Fontes Antigas
“Fonte Ludus Magnus” é uma pequena fonte triangular,localizada na curva noroeste do “Ludus Magnus” o pequeno anfiteatro para exercícios de gladiadores construídos por Domiciano perto do Coliseu.É o único remanescente dos quatro prováveis existentes ao redor da estrutura e é testemunhado em um fragmento da “Forma Urbis Severiana”(a Forma Urbis Severiana (também Forma Urbis Romae, “planta de mármore severiana” ou Forma Urbis Marmorea) era uma planta da cidade da Roma antiga gravada em lajes de mármore, que remonta à época de Septímio Severo. Construído entre 203 e 211, foi localizado em uma das salas de aula do Templo da Paz),a fábrica de mármore da cidade que remonta ao século III.

“Fons (Lacus) Iuturnae” (a fonte de Giuturna é uma fonte localizada no Fórum Romano, entre o templo de Càstori e a casa das vestais) a “Fonte de Giuturna”,dedicada à irmã de Turno,rei dos Rutuli,foi construída após 168 a.C. talvez por Lucio Emilio Paolo Macedonico,explorando diretamente a energia fornecida por uma água que jorrava na base do lado norte do Palatino. Era uma grande bacia quadrada com uma retangular menor no centro.

“Meta Sudans” era uma fonte da época da Flávia, localizada perto do Coliseu e do perto do Arco de Constantino, entre o Célio e o Monte Palatino, no ponto em que a procissão triunfal se virou para pegar a Via Sacra.Construído por Domiciano(Titus Flavius ​​Domitian (em latim: Titus Flavius ​​Domitianus,Roma, 24 de outubro de 51,Roma, 18 de setembro de 96,foi um imperador romano de 14 de setembro de 81 a sua morte,com o nome de Cesare Domiziano Augusto Germanico,último da dinastia flaviana)no final do primeiro século,talvez em uma fonte preexistente,foi destruído em 1936 devido aos problemas nas estradas associados à abertura da Via dell’Impero um disco de pedra marca sua posição hoje. Atualmente, apenas alguns restos das fundações são visíveis, exumados entre 1981 e 1989.Era uma estrutura cônica(semelhante às “metas” nas extremidades da pista de circo) a partir da qual a água,em vez de jorrar,escorria diretamente da pedra poroso,como se fosse o seu suor.
Estão gostando de conhecer as Fontes de Roma,espero vocês para a segunda parte do artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: